Vinhopedia - A enciclopédia do vinho.
Vinhos do Porto

Vinhos do Porto

Vinho do Porto é uma classificação genérica dada a vinhos produzidos no norte de Portugal, na Região Demarcada do Douro, próxima à cidade de Porto. Ao todo, dezesseis marcas podem ser consideradas vinhos do Porto. Ou seja, ao contrário do que se possa pensar, o vinho do Porto não é exatamente um tipo de vinho, mas um reconhecimento para bebidas produzidas em determinada região. Algo mais ou menos parecido acontece com a cachaça brasileira em alguns mercados. Nos Estados Unidos, por exemplo, somente os produtos importados do Brasil podem receber o nome de “cachaça”.

Tipos de vinhos do Porto

O vinho do Porto é dividido em três tipos, além de uma quarta categoria à parte. Os tipos são Branco, Ruby e Tawny. O primeiro deles é envelhecido em imensos barris de carvalho, que costumam ter mais de 20 mil litros. O vinho branco do Porto é reconhecido por sua doçura, presente mesmo nas versões secas. Outra característica dos vinhos brancos é o pouco contato da bebida com a madeira do barril, algo que também acontece com a versão Ruby, que tem como característica a baixa oxidação. O Ruby, entretanto, é uma classe de vinhos tintos.

O terceiro tipo, Tawny, é caracterizado por um envelhecimento mais longo, entre dois e três anos. Após este período, o vinho é transferido para pipas, que permitem um maior contato da bebida com a madeira e o ar. Devido à maior oxidação, o Tawny perde a forte tonalidade comum aos vinhos tintos, ganhando tons mais claros.

Os três tipos de vinhos do Porto acima mencionados são considerados standard, nomenclatura dada àqueles que envelhecem, no máximo, três anos em barris. Qualquer vinho do Porto que permanecer mais tempo no envelhecimento pertencerá às categorias especiais, conhecidas por utilizarem uvas de melhor qualidade ou fazer parte de uma safra realmente boa em questões climáticas.

Categorias especiais

As categorias especiais de vinhos do Porto são LBV, Reserva, Tawnies envelhecidos, Vintage e Colheita.

Vinhos LBV

O LBV é feito a partir de uma única colheita muito boa. Seu envelhecimento demora de quatro a seis anos. Esta bebida, diferente das descritas anteriormente, continua envelhecendo na garrafa, embora de forma pouco significativa. Por esta razão, as garrafas do LBV devem ser mantidas na posição deitada, o que permite que o vinho umedeça a rolha. Esta, inclusive, é a característica utilizada para descobrir se um vinho do Porto envelhece ou não na garrafa: os que não envelhecem possuem a proteção metálica ou plástica acima da rolha, e devem ser mantidos na vertical. O outro grupo, com a rolha descoberta, envelhece na garrafa, e deve ficar na posição horizontal.

[metaslider id=219]

 

Reserva

O Reserva pode ser branco ou tinto e costuma ficar sete anos na maturação em barris. Assim como os vinhos do Porto standard, o Reserva não envelhece no interior da garrafa. Seu consumo, após a abertura da garrafa, deve ser realizado em, no máximo, seis meses.

[metaslider id=245]

 

Tawnies envelhecidos

Os Tawnies envelhecidos são produzidos da mesma maneira que um Tawny tradicional. A diferença, neste caso, está no envelhecimento: alguns Tawnies especiais podem permanecer nos barris por mais de quarenta anos. Quanto mais tempo passar no barril, mais claro serão Tawny. Os Tawnies envelhecidos estão entre os vinhos do Porto mais caros.

Colheita

A denominação Colheita é utilizada para identificar determinada safra excepcionalmente boa. Devido ao grande número de semelhanças do Colheita com os Tawnies envelhecidos, é cada vez mais difícil encontrar esta categoria de vinho do Porto, pois as empresas costumam dar preferência ao Tawny.

[metaslider id=234]

Vintage

O termo Vintage é utilizado para determinar o mais alto grau de qualidade de um vinho do Porto. Pode ser chamado de Vintage apenas o vinho produzido a partir da mesma colheita, que precisa ser extremamente boa. Seu envelhecimento em barril tem duração de dois anos e meio, no máximo, quando o vinho passa a ser envelhecido na garrafa. O que diferencia o Vintage de qualquer outro vinho do Porto é seu alto grau de envelhecimento em garrafas (que, vale frisar, têm de ficar sempre na horizontal). Devido a esta característica, o Vintage nunca deve ser aberto em menos de quatro anos. O envelhecimento na garrafa permite que a bebida perca sua adstringência, tornando-se muito suave. Uma subdivisão do Vintage é o Crusted, mistura de vários vintages. Este tipo de vinho do Porto necessita de decantação, pois forma um sedimento nas garrafas.

 

Vinho fortificado

Qualquer vinho do Porto pertence ao grupo dos vinhos fortificados. Isso significa dizer que as bebidas recebem a adição de algum destilado, geralmente o conhaque. Muitos vinhos consagrados, como Madeira e Xerez, também são fortificados.

A fortificação do vinho do Porto é um processo à parte, sendo uma das principais características que o diferenciam de outros vinhos. Além da qualidade das uvas da Região Demarcada do Douro, os vinhos do Porto não passam por uma fermentação completa. Entre dois e três dias após o início da fermentação, é adicionada uma aguardente de vinho ao composto, que possui uma graduação alcoólica próxima de 77º. Desta forma, o açúcar das uvas não é completamente transformado em álcool, o que dá um sabor adocicado ao produto final. Sua graduação alcoólica, devido à fortificação, é consideravelmente mais alta do que a de outros vinhos, podendo chegar a 22º.

Origem desconhecida

Um dos assuntos que mais geram polêmica em torno do vinho do Porto é sua “descoberta”. Produtores ingleses afirmam que o vinho foi descoberto no século XVII, quando, por medo de que a bebida azedasse, mercadores britânicos fizeram a adição de brandy aos vinhos adquiridos no Douro. Contudo, esta “fortificação” feita pelos mercadores já era utilizada muitos anos antes, no período das Grandes Navegações, quando os vinhos recebiam brandy para aumentar seu tempo de conservação durante longas viagens. Independente da versão da história, apenas os produtores da região do Douro podem comercializar o vinho do Porto mundialmente.

As vinhas da região do Douro

O cultivo das vinhas na região do Douro é feito através de plataformas “cortadas” em morros, que formam uma estrutura parecida com degraus. Esta bela paisagem, construída ao longo do rio Douro, foi reconhecida como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

[metaslider id=250]

 

1 Comentário

  1. Elianne

    6 anos atrás

    Oi Bom Dia
    Eu gostaria de uma ajuda por favor!!
    Ja procurei em google mas não encontrei a resposta….

    Todo vinho do Porto Lade Bottled Vintage e doce????
    Ou ele e seco ou so um pouquinho doce?????

    Responder

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>